Clássico oportunismo

Salve, China Azul!

Em mais uma péssima partida, com direito a falta de organização, criatividade e pontaria, o Cruzeiro saiu derrotado, dessa vez pelo Flamengo. No seu quarto jogo dentro de casa, a equipe celeste conta com a expressiva marca de DOIS pontos, e meros 16% de aproveitamento. A situação é crítica, e requer muita atenção e trabalho. Todavia, não é isto que temos visto por parte da Diretoria de Futebol do Cruzeiro.

Em diversas oportunidades, meus colegas de site escreveram sobre a má administração do futebol do clube, então apenas resumirei o que foi dito: foram feitas várias contratações sem critério, respaldadas pela tão famosa análise de desempenho. O resultado é um elenco inúmeras vezes pior do que o do ano passado. Conseguiram enxugar a folha salarial, mas colocaram o Cruzeiro em uma situação de risco, capaz de manchar a gigante história do clube. Mas não é este o assunto principal do texto.

No último domingo, o Cruzeiro venceu o Atlético-MG, em uma partida em que a equipe se superou em todos os aspectos. Uma boa vitória, nada mais. Enquanto isto, o vice-presidente de futebol, que andava sumido das redes sociais (por coincidência, bem no período de maior cobrança do torcedor), reapareceu como em outros tempos, com uma brincadeira para cima do rival. Seria legal, se a equipe estivesse em condição de comemorar algo mais além dos três pontos. Na situação em que o clube se encontra, este tuíte não ajuda em nada; pelo contrário, é só uma tentativa (fracassada) de ser populista.

 

Twitter Vicintin

 

Estamos aqui, diretoria, para dizer que o cruzeirense não se contenta apenas em vencer clássicos. Não é uma boa atuação que vai nos fazer esquecer as trapalhadas na gestão do futebol do clube, ocorridas desde dezembro de 2015. Não é por um mero tuíte que vocês voltarão a ter o apoio do torcedor. Este populismo não convence mais a ninguém.

O torcedor quer trabalho, empenho, dedicação. O torcedor quer reforços, no plural. A passividade vista nas entrevistas e declarações, a morosidade na tentativa de reforçar o plantel, e a falta de profissionalismo da assessoria deixa, cada vez mais, o cruzeirense incrédulo. O tão esperado dia 20 de junho, dia da abertura da janela internacional de transferências, está às portas, e ninguém possui alguma expectativa de melhora. E a culpa disso é de vocês, gestores.

Declarações polêmicas, discursos de grandeza, entrevistas menosprezando o rival: nada disso vai nos convencer de que algo mudou. Não aceitamos qualquer coisa. Não queremos apenas vencer o rival, queremos vencer campeonatos.

Por: Pedro Henrique Paraíso