Chapa branca (Cruzeiro 3 x 1 Fluminense – Camp. Brasileiro 34ª rodada)

Salve, guerreiros!

Ainda estou tentando processar a partida do Cruzeiro deste domingo contra o Fluminense. Sentimentos antagônicos tomam conta do colunista, pois apesar da boa vitória (há tempos o Cruzeiro não marcava três gols), a partida celeste não foi um primor. Mas, em virtude da polêmica instaurada após minha última analise na página do Guerreiro dos Gramados no Facebook, decidi escrever uma analise mais “chapa branca”. Aparentemente, não podemos mais criticar o que está errado no Cruzeiro porque somos automaticamente eleitos como “mimizeiros”, “franga enrustida”, isso para usar os apelidos mais carinhosos.

O jogo

Um primeiro tempo abaixo da crítica para aquilo que o torcedor celeste espera do Cruzeiro, mas, como precisamos tratar na base do “tudo são flores”, a Raposa arrancou um empate contra o poderoso Fluminense nessa etapa da partida. O segundo tempo, sim, foi mais animado e vamos detalhar tudo a seguir.

Primeiro tempo

O Cruzeiro inicia com inteligência o confronto, com a marcação mais adiantada encurralando o time carioca em seu campo. Um castigo imerecido foi o gol tricolor por volta dos 5 minutos de partida. Scarpa finaliza da intermediária, Pedro intercepta na entrada da área celeste no meio dos zagueiro e só tem o trabalho de deslocar Fábio. A Raposa, valente, então passa a pressionar ainda mais o Fluminense, mas, não consegue furar o bloqueio armado por Abel Braga. Lucas Romero consegue o empate após tabelar com Thiago Neves e ainda contar com desvio nas costas do zagueiro Henrique matando assim as chances de defesa de Diego Cavalieri.

Segundo tempo

Mais uma vez, a Raposa segue para a pressão, que dá resultado. Aos 9 minutos da etapa final, o Fluminense teve Marlon expulso ao cortar com a mão uma tentativa de passe de Thiago Neves. já amarelado, Marlon recebe o segundo resultando no cartão vermelho. Na cobrança da infração, Thiago Neves faz o centro para a área, a bola passa por todo mundo encontrando Diogo Barbosa que com um leve desvio tira Cavalieri da jogada dando a virada o Cruzeiro.

Vou confessar de ver que fiquei admirado de ver a postura do Fluminense em busca do empate, que luta, que entrega! Isso permitiu o Cruzeiro jogar do jeito que o Mano gosta, reativo, explorando a solidez da defesa e partido rápido nos contra-ataques, e foram vários, e várias chances desperdiçadas, mas, não fizeram falta. Sobis então abusou do direito de perder gol ao sair sozinho com Cavalieri e finalizar em cima do goleiro, mas, é isso aí, guerreiro do rock, somos penta da Copa do Brasil da qual você foi artilheiro.

O gol derradeiro vem em bela troca de passes em que, finalmente, Thiago Neves coroou sua atuação ao bater sem chance para o goleiro tricolor. Ele fica com nosso Guerreiro de ouro de hoje com duas assistências e um gol, o nome da partida não poderia ser outro. Guerreiro de lata fica com Murilo. Não sei o que houve com o jovem zagueiro, está desatento, lento… ah! Esqueci, não podemos criticar. Cancela o Guerreiro de lata.

CRUZEIRO 3 X 1 FLUMINENSE
Motivo: 34ª rodada do Campeonato Brasileiro
Data: 12/11/2017 (domingo)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte-MG
Renda: R$ 102.844,00
Público pagante: 6.530
Público presente: 8.644
Gols: Pedro, aos 7, e Lucas Romero, aos 16 minutos do primeiro tempo; Diogo Barbosa, aos 12, e Thiago Neves, aos 27 minutos do segundo tempo
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro – GO (CBF)
Cruzeiro: Fábio; Ezequiel, Manoel, Murilo e Diogo Barbosa; Lucas Silva, Lucas Romero, Robinho (Alisson) e Rafinha (Messidoro); Thiago Neves e Rafael Sóbis (Jonata). Técnico: Mano Menezes
Fluminense: Diego Cavalieri; Lucas, Renato Chaves, Henrique, Marlon; Marlon Freitas, Wendel, Douglas e Gustavo Scarpa (Léo); Marcos Júnior (Wellington Silva) e Pedro. Técnico: Abel Braga
Cartões amarelos: Murilo, Lucas Romero, Robinho, Thiago Neves (Cruzeiro); Marlon, Renato Chaves (Fluminense)
Cartão vermelho: Marlon (Fluminense)

Próximo desafio, digo, cumprir tabela do Cruzeiro, é contra o Avaí no Mineirão. Tanto faz se ganhar ou perder, afinal, somos Penta da Copa do Brasil e nada mais importa. Até lá, China Azul.

Guerreiro dos Gramados. Nossa torcida, nossa força!

Por: Álvaro Jr