FFoto: Pedro Vilela/Light Press/Cruzeiro

Capricha, Cruzeiro!

“Jogou como nunca, perdeu como sempre”. Esta expressão, tão comum no mundo do futebol, tem refletido, parcialmente, o desempenho do Cruzeiro no Campeonato Brasileiro. Várias partidas com domínio total de jogo, maior posse de bola, maior número de finalizações e, quase sempre, a equipe sai derrotada em falhas individuais e coletivas, ou lances fortuitos. Com Paulo Bento, esta nuance da equipe era mais visível; todavia, Mano Menezes chegou, e apesar de o desempenho em campo ser mais sólido, a equipe continua vacilando em momentos chave, perdendo pontos importantíssimos para a sequência do campeonato.

As primeiras quatro partidas de Mano Menezes no comando celeste já deram a tônica: o Cruzeiro pode sair dessa situação desconfortável. O problema é que, em alguns momentos, a equipe ainda mostra a instabilidade característica desta temporada. É normal, principalmente devido à rotatividade de jogadores e treinadores que já passaram pela equipe em apenas oito meses, mas é preciso vencer esta oscilação. Já passamos da metade do Brasileirão, e não podemos nos dar ao luxo de perder pontos em jogos onde exercemos domínio.

A esta altura do campeonato, qualquer desatenção é fatal, qualquer gol perdido faz falta, qualquer erro pode ser imperdoável. Os atacantes celestes não podem mais se dar ao luxo de serem ineficientes ofensivamente, precisando de várias tentativas para balançar as redes adversárias; os defensores precisam estar ainda mais concentrados, para não cometerem os erros bobos que já nos causaram tantas derrotas.

Apesar da melhora no desempenho, os resultados ainda não apareceram: são apenas uma vitória, dois empates e uma derrota, cinco pontos em doze disputados. Eu tenho certeza que qualquer torcedor celeste prefere abrir mão de jogar bem em detrimento dos três pontos. Não é hora de encantar o país, é hora de vencer por 1×0, com gol contra do zagueiro adversário. Só precisamos ganhar mais nove ou dez partidas e já começar o planejamento para 2017. Quanto mais rápido o Cruzeiro sair desta situação, melhor consegue vislumbrar o que pode esperar para a próxima temporada.

A união da torcida com o time nestas últimas rodadas é fundamental, mas ainda precisamos de um pouco mais: mais pontaria, mais atenção, mais eficiência. A confiança é alta, principalmente porque é visível o potencial que grande parte do elenco tem. Mas, por favor, capricha, Cruzeiro!

Por: Pedro Henrique Paraíso

Foto: Pedro Vilela/Light Press/Cruzeiro