A beleza do futebol (Volta Redonda 2 x 1 Cruzeiro – Copa do Brasil)

Salve, guerreiros!

Nesta quarta à noite (15/02), este colunista teve o privilégio de assistir o “Cruzeirão Cabuloso” diretamente no estádio. O que pude constatar foi algo de encher os olhos, ao menos nos primeiros 45′ de partida. Que time, senhores! Quanta compactação, marcação encaixada, alternativas de jogadas, muitas oportunidades de gols criadas, entretanto, “nem tudo são flores”. As deficiências são muito visíveis, e vamos explorá-las, no decorrer da analise de hoje.

O jogo

Um jogo de tempos distintos. Um primeiro tempo quase impecável, e, um segundo tempo que deu vontade de ir embora. Como pode um time mudar tanto em um intervalo de 15′? Claro que temos que considerar que há um adversário do outro lado, e ele, também quer a classificação. A disparidade de investimento e talento entre as equipes não deveria permitir o sufoco tomado pela Raposa em grande parte da etapa complementar da partida. Também, as inúmeras oportunidades de gols desperdiçadas no primeiro tempo também permitiram ao time do sul fluminense sonhar com algo mais.

Primeiro tempo

A primeira etapa da partida justifica o título da analise de hoje. O gramado do Raulino de Oliveira é desenhado em grandes faixas de aproximadamente cinco metros. O Cruzeiro concentrava seus dez jogadores de linha em trinta metros de campo. Isso fazia com que o time marcasse com extrema eficiência, acertasse grande parte dos passes e conseguisse dominar o adversário criando muitas chances de gols. Uma pena a pontaria não estar em dia. Um placar mais elástico não teria dado ao Volta Redonda a sobrevida que teve durante o confronto. Alisson deu espetáculo com dribles desconcertantes e foi premiado com um gol. De Arrascaeta foi um garçom, colocou companheiros diversas vezes em chance claras de gols. Sobis esteve muito bem assim como Robinho. Além dos gols perdidos, outro ponto negativo foi a instabilidade da zaga, que errou alguns lances de forma bizonha. Bom para o Cruzeiro é ter Rafael em grande fase.

Segundo tempo

A etapa complementar, por outro lado, teve um Volta Redonda com muito mais gana, e um Cruzeiro apenas preocupado em manter o resultado favorável. Entendo a preocupação de Mano Menezes com a maratona de jogos desse início de ano. Entendo que tirar a carga em um jogo que vencíamos, e que mesmo o empate nos classificaria, seria a melhor opção. O que não entendo, é fazer isso recuando o time e dando tanto campo ao adversário, ainda mais sendo um time mais modesto. Essa estratégia contra um time de melhor qualidade pode custar muito caro, ex: Flamengo x  Cruzeiro em 2013 na mesma competição. Com as substituições, começa então um verdadeiro “Show de horrores”. Mano tira Robinho para a entrada de Rafinha que fica mais perdido que barata no inseticida. Depois entra com Élber (atuação mais triste que vi do atleta) aberto pela direita. Com a saída de Sobis, até então a única referência na frente, o Cruzeiro não tinha pra quem fazer o último passe. Ábila teria resolvido esse problema, mas como já disse, Mano se preocupava apenas em manter o resultado, polpar seu elenco e esperar o fim do confronto.

Guerreiro de Ouro está muito difícil hoje, mas, pelos dribles maravilhosos e pelo gol da tranquilidade, Alissom fica com a “honraria”. Guerreiro de Lata fica com Élber. Que atuação patética, mesmo entrando descansado contra um time de menor nível e já desgastado. Élber recebia a bola em ótimas condições, principalmente após a entrada de Lucas Silva e seus lançamentos em profundidade com precisão milimétrica, e não sabia o que fazer com ela.

FICHA TÉCNICA:
VOLTA REDONDA-RJ 1 X 2 CRUZEIRO-MG

Local: Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ)
Data: 15 de fevereiro de 2017 (Quarta-feira)
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza (SP)
Assistentes: Herman Brumel Vani (SP) e Alex Ang Ribeiro (SP)
Gols: Alisson, aos 14 minutos do primeiro tempo, Robinho, aos 15 minutos do segundo tempo (Cruzeiro); Higor Leite, aos 22 minutos do segundo tempo (Volta Redonda).
Cartões: Henrique, Luan (Volta Redonda); Alisson, Rafael Sobis (Cruzeiro)

VOLTA REDONDA: Douglas Borges, Henrique, Felipe, Luan e Cristiano; João Cleriston, Marcelo, Diego Souza (Higor Leite) e Luís Gustavo; David Batista e Pipico (Octávio). Técnico: Cairo Lima

CRUZEIRO: Rafael, Ezequiel, Leo, Manoel (Kunty Caicedo) e Diogo Barbosa; Henrique, Ariel Cabral, Robinho (Rafinha) e Alisson (Elber); Arrascaeta e Rafael Sobis. Técnico:Mano Menezes

A Raposa volta a campo neste sábado contra a URT, às 16:30 no Zama Maciel. Atenções voltadas ao Mineiro, Mano deve retornar o time mais usado na competição até aqui, diferente de ontem. Até lá, China Azul.

Guerreiro dos Gramados. Nossa torcida, nossa força!

Por: Álvaro Jr