26 abr Análise das oitavas-de-final da Copa Libertadores 2011: Jogo a Jogo


Salve Nação Celeste! Nesta semana tem início as oitavas de final da Copa Libertadores 2011.

A grande maioria dos classificados faz parte da elite do futebol de clubes no continente e a partir de agora não existe o direito de tropeçar.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

As campanhas na primeira fase só valem agora para definir quem faz a última partida em casa, mas de resto é como se a competição começasse do zero.

É hora de concentração total e de estudar cada um dos duelos entre os clubes que seguem na briga pela taça mais importante da América.

 
Jogo 1: Cruzeiro (BRA) X Once Caldas (COL)

Cruzeiro: Campanha no Estadual 2011: Semi-finalista do Campeonato Mineiro. Venceu o América de Teófilo Otoni por 8 a 1 na primeira partida.
                  Campanha na Libertadores: 16P,5V, 1E, 0D. 20 GP, 1 GC, 19S. 1º do Grupo 7.

Once Caldas: Campanha no Nacional 2011: 3º no Apertura.
                         Campanha na Libertadores: 7P, 1V, 4E, 1D, 7GP, 8GC, -1S. 2º do Grupo 1.

Análise: O Once Caldas tem a pior campanha entre todos os classificados, mas isto não sugere vida fácil para o Cruzeiro nos duelos contra os colombianos.

Embora tenha vencido apenas 1 partida na 1ª fase, sobre o San Martín fora de casa na última rodada, o Once Caldas mostrou-se uma equipe difícil de ser derrotada e só perdeu uma partida, também para o San Martín, em casa e logo na estreia.

Contando com a altitude de Manizales, o campeão da Libertadores de 2004 espera que a altitude de 2100 metros de seu estádio possa ser uma arma, mas a missão de parar a melhor campanha da Libertadores é ingrata.

O Cruzeiro ainda não perdeu na competição e ganhou 5 dos 6 jogos da primeira fase. Com o melhor ataque e a melhor defesa da competição, o time celeste espera resistir ao caldeirão de Manizales e decidir a parada em Sete Lagoas.

O favoritismo é azul, pois a equipe vem atuando bem tanto dentro contra fora de casa. No entanto, todo cuidado é pouco quando se encara um adversário que tem a altitude como aliado para fazer o resultado logo no primeiro jogo do duelo.

Palpite: Cruzeiro

Jogo 2: América (MEX) X Santos (BRA)

América: Campanha no Nacional 2011: 9º colocado no Clausura.
                 Campanha na Libertadores: 10P, 3V, 1E, 2D, 8GP, 7 GC, 1S. 1º do Grupo 3.

Santos: Campanha no Estadual 2011: Semi-finalista do Campeonato Paulista. Enfrenta o São Paulo em jogo único.
               Campanha na Libertadores: 11P, 3V, 2,E, 1D, 11GP, 8GC, 3S. 2º do Grupo 5.

Análise: Reedição do duelo das quartas-de-final em 2008 quando o América superou o Santos e seguiu na competição. Todavia, o momento das equipes é bem diferente daquele confronto.

O América, por exemplo, perdeu Cabañas, o principal destaque naquela época, e enfrenta dificuldade em garantir uma vaga nos playoffs do Clausura neste semestre (classificam-se os 8 primeiros). Nem mesmo o primeiro lugar do grupo mais difícil da primeira fase apaga a temporada irregular dos mexicanos que tem apenas 7 vitórias em 16 jogos no campeonato nacional.

O Santos, por sua vez, parece ter encontrado o rumo em 2011. A equipe paulista começou muito mal a Libertadores e correu riscos de ser eliminada na primeira fase, mas venceu os dois últimos jogos e conseguiu o segundo lugar da sua chave fazendo, inclusive, mais pontos na fase inicial do que o América.

Com Neymar, Elano e companhia, o Santos é favorito contra um América forte, mas que busca se reencontrar desde a perda do seu maior ídolo no trágico incidente do ano passado quando Cabañas foi baleado e, provavelmente, se despediu do futebol profissional.

Palpite: Santos.

Jogo 3: Junior Barranquilla (COL) X Jaguares (MEX)

Junior Barranquilla: Campanha Nacional 2011: 14º no Apertura.
                                    Campanha na Libertadores: 13P, 4V, 1E, 1D, 9GP, 7GC, 2S. 1º do Grupo 2.

Jaguares: Campanha Nacional 2011: 18º no Clausura.
                   Campanha na Libertadores: 9P, 3V, 0E, 3D, 6GP, 8GC, -2S. 2º do Grupo 6.

Análise: Duelo entre duas equipes que vão de mal a pior nos campeonatos nacionais, mas que conseguiram avançar de fase na Libertadores.

O Júnior Barranquilla chegou a sonhar com o 1º lugar geral, mas foi derrotado pelo Grêmio no Olímpico e empatou com o León de Huánaco em casa nas últimas rodadas, demonstrando uma importante queda de rendimento na competição que, aliás, combina com a má colocação no Apertura colombiano.

Todavia, o momento do Jaguares não é melhor. O time é lanterna do Clausura mexicano e conseguiu a proeza de ser derrotado pelo Jorge Wilstermann, que está na segunda divisão boliviana, na última rodada da Libertadores.

Pelo momento dos times, o confronto tem tudo para ser o mais fraco desta fase. Entretanto, Júnior e Jaguares tiveram bons momentos na competição e podem fazer um duelo disputado e de qualidade.

O favoritismo cabe ao Júnior que irá decidir em casa e conseguiu terminar a primeira fase na frente do Grêmio em seu grupo. Nada, no entanto, que permita descartar o Jaguares, que derrotou o Internacional quando atuou em casa na primeira fase da competição.

Palpite: Júnior Barranquilla.

Jogo 4: Cerro Porteño (PAR) X Estudiantes (ARG)

Cerro Porteño: Campanha no Nacional 2011: 8º no Apertura.
                            Campanha na Libertadores: 11P, 3V, 2E, 1D, 13 GP, 8GC, 5S. 1º do Grupo 5.

Estudiantes: Campanha no Nacional 2011: 7º no Clausura.
                       Campanha na Libertadores: 10 P, 3V, 1E, 2D, 9GP, 11GC, -2S. 2º do Grupo 7.

Análise: O Cerro Porteño surpreendeu e garantiu o primeiro lugar do Grupo 5, superando Santos e Colo Colo, com uma vitória sobre os chilenos em plena Santiago na última rodada.

O Estudiantes, por sua vez, até fez uma primeira fase razoável, superando o Tolima, que deixou o Corinthians para trás na Pré-Libertadores, mas sendo humilhado pelo Cruzeiro nas duas vezes que as equipes se enfrentaram na primeira fase.

Uma análise que levasse em conta apenas a campanha na 1ª fase e desprezasse a qualidade dos jogadores a disposição de cada uma das equipes poderia, facilmente, apontar o Cerro como favorito, mas não é este o caso.

A equipe paraguaia está longe de ser imbátivel. Foi líder da chave por acaso graças a um empate arrancado contra o Santos na Vila Belmiro no último lance de uma partida em que os paulistas foram displicentes e cometeram um penalti infantil na hora do apito final.

O time é frágil, a campanha no paraguaio mostra isso, e confia no vice-artilheiro da competição Nanni, autor de 5 gols, para seguir em frente.

Muito pouco para fazer frente a uma equipe que conta com Verón, Braña, Fernandez e outros jogadores experientes e com uma Libertadores no currículo. O Estudiantes é mais forte do que os resultados contra o Cruzeiro parecem provar e deve mostrar contra o Cerro Porteño que não pode ser tomado como carta fora do baralho.

Palpite: Estudiantes.

Jogo 5: Libertad (PAR) X Fluminense (BRA)

Libertad: Campanha no Nacional 2011: 4º no Apertura.
                 Campanha na Libertadores: 14 P, 4,V, 2E, 0D, 13 GP, 5GC, 8S. 1º do Grupo 1.

Fluminense: Campanha no Estadual 2011: Eliminado nas semi-finais da Taça Guanabara e da Taça Rio por Boavista e Flamengo respectivamente.
                       Campanha na Libertadores: 8P, 2V, 2E, 2D, 9GP, 9GC, 0S. 2º do Grupo 3.

Análise: O Fluminense esteve morto na Libertadores. A equipe carioca foi muito mal nas primeiras rodadas e teve que contar com uma combinação de resultados na última rodada para seguir na competição.

O empate entre Nacional e América em Montevidéu, no entanto, não valeria de nada se o tricolor do Rio de Janeiro não derrotasse o Argentinos Júniors em Buenos Aires por 2 gols de diferença. Com um penalti duvidoso no final da partida, o Fluminense garantiu a vitória por 4 a 2 e mostrou mérito para seguir na Libertadores.

O Libertad, por sua vez, teve vida tranquila no Grupo 1. A equipe paraguaia sobrou em um grupo que contava com Once Caldas, Universidad San Martín e San Luis e chega invicto às oitavas-de-final.

Os paraguaios, no entanto, tiveram um caminho mais fácil que o Fluminense que, por sua vez, vem mostrando sinais de que pode recuperar o futebol da equipe campeã brasileira em 2010 após a saída de Muricy Ramalho, embora tenha sido eliminado na semi-final da Taça Rio nos penaltis pelo Flamengo.

O favoritismo é brasileiro, mas o Libertad pode avançar. Não é qualquer equipe que passa pela primeira fase da Libertadores sem perder, por mais frágil que tenha sido o seu grupo. Se conseguir segurar o Fluminense no Engenhão, o Libertad terá boas chances de garantir a vaga no Paraguai.

Palpite: Fluminense.

Jogo 6: LDU (EQU) X Vélez Sarsfield (ARG)

LDU: Campanha no Nacional 2011: Líder do Apertura.
         Campanha na Libertadores: 10P, 3V, 1E, 2D, 12GP, 4GC, 8S. 1º do Grupo 8.

Vélez Sarsfield: Campanha no Nacional 2011: Líder do Argentino.
                             Campanha na Libertadores: 10 P, 3V, 1E, 2D, 12GP, 7GC, 5S. 2º do Grupo 4.

Análise: A LDU terá que voltar a Argentina pela 3ª vez nesta Libertadores. Após deixar Godoy Cruz e Independiente para trás na fase de grupos, os equatorianos terão a chance de eliminar mais um argentino na competição.

A missão desta vez, no entanto, é complicada. Por mais irregular que tenha sido na fase de grupos (conseguiu ser derrotado pela Universidad Católica em casa, por exemplo), o Vélez mostra força quando é necessário (como na vitória sobre o Caracas na Venezuela que garantiu a classificação na última rodada) e lidera o campeonato argentino neste semestre.

A vantagem da LDU, todavia, é decidir em casa e poder adotar uma tática defensiva na primeira partida em Buenos Aires para conter o ímpeto ofensivo do Vélez atuando em seus domínios.

A LDU tem um ligeiro favoritismo, mas graças, principalmente, ao fator altitude da cidade de Quito. Duelo equilibrado onde quem seguir mostrará força para brigar pela competição.

Palpite: LDU.

Jogo 7: Internacional (BRA) X Peñarol (URU)

Internacional: Campanha no Estadual 2011: Eliminado pelo Cruzeiro nas quartas-de-final do 1º Turno e disputa a final do 2º Turno contra o Grêmio.
                          Campanha na Libertadores: 13P, 4V, 1E, 1D, 14GP, 3GC, 11S. 1º do Grupo 6.

Peñarol: Campanha no Nacional 2011: 2º no Clausura.
                Campanha na Libertadores: 9P, 3V, 0E, 3D. 6GP, 11GC, -5S. 2º do Grupo 8.

Análise: O Peñarol está de volta a Copa Libertadores e conseguiu uma classificação em um grupo difícil deixando fora das oitavas-de-final o Independiente e o Godoy Cruz, ambos da Argentina.

A ambição uruguaia de ver a tradicional equipe de volta a briga pelos títulos continentais esbarra agora, no entanto, no Internacional, equipe bicampeã da Libertadores nos últimos 5 anos.

O Inter vive uma temporada irregular e terá que derrotar o Grêmio no próximo fim de semana para impedir que o rival seja campeão gaúcho com antecedência. A rivalidade gaúcha pode atrapalhar na disputa e é aliada do Peñarol neste duelo.
 
Mesmo dividido entre Libertadores e Gauchão, no entanto, o Colorado é favorito. A legião argentina colorada, composta por Guiñazu, Cavenaghi, D’Alessandro e Bolatti, tem experiência de sobra em competições sul-americanas e o próprio clube brasileiro se tornou figurinha carimbada na competição participando de 3 das últimas 5 edições do torneio.

A experiência do Internacional deve pesar contra um Peñarol que vive em busca do resgate de sua história e do clube que já foi.

Palpite: Internacional.  

Jogo 8: Universidad Católica (CHI) X Grêmio (BRA)

Universidad Católica: Campanha no Nacional 2011: 1º do Apertura.
                                       Campanha na Libertadores: 11P, 3V, 2E, 1D, 11GP, 9GC, 2S. 1º do Grupo 4.

Grêmio: Campanha no Estadual: Campeão do 1º Turno. Pode ser campeão no domingo caso derrote o Internacional no fim de semana.
               Campanha na Libertadores: 10P, 3V, 1E, 2D, 9GP, 6GC, 3S. 2º do Grupo 2.

Análise: O Grêmio tem, talvez, a missão mais espinhosa entre os brasileiros. O momento da Universidad Católica é fantástico e a equipe é líder folgada do campeonato nacional com 6 pontos de vantagem sobre o 2º colocado.
        
Em 19 partidas na temporada, a Universidad venceu 13, empatou 4 e perdeu apenas 2. Os bons números são reforçados pela liderança do Grupo 4 na primeira fase deixando para trás ninguém menos que o Vélez Sarsfield, atual líder do Campeonato Argentino.

O Grêmio, por sua vez, foi apático na primeira fase. A boa campanha no Gauchão, que pode terminar no próximo domingo com título, caso o Grêmio derrote o Inter,contrasta com um desempenho fraco em um grupo fácil na Copa Libertadores.

O Tricolor gaúcho simplesmente não venceu fora de casa (Empatou com o León de Huánaco e perdeu para o Júnior Barranquilla e para o Oriente Petrolero) e deve uma atuação convincente na competição para começar a passar credibilidade de que pode ir longe.

O favoritismo é gremista, muito embora os números chilenos sejam melhores, pois é indiscutível o potencial da equipe do Grêmio. Todavia as constantes experiências do treinador Renato Gaúcho no comando tricolor podem comprometer a campanha gremista e permitir que a Universidad atropele mais uma tradicional equipe do continente nesta Libertadores.

Palpite: Grêmio.


Deixe seu comentário, curta e compartilhe