06 fev Análise: As contratações do Cruzeiro em 2020


Após a queda pra Série B, o conselho gestor tinha uma certeza, seria necessário uma grande reformulação no elenco pela queda gigante de receitas. Além disso, várias trocas no comando da equipe serviram de combustível para muitas contratações. Ao longo do ano, o Cruzeiro teve dois presidentes, cinco diretores de futebol e quatro técnicos.

Ao todo, 23 jogadores foram contratados, com o clube tendo o maior orçamento da Série B. No entanto, muitas contratações não atingiram o que foi esperado, confira:

ACERTARAM

Cáceres: Vindo com muita desconfiança por parte da torcida, o lateral surpreendeu e foi um dos mais regulares da equipe.

Ramon: “Pouca mídia e muito futebol”, assim foi Ramon na temporada, assumiu a titularidade e não saiu mais.

Felipe Machado: Entre altos e baixos o volante se firmou no meio do ano, passou a se destacar nos jogos e contribuir no meio campo.

Airton: Uma das maiores surpresas da temporada, o garoto dispensado pelo Palmeiras foi fundamental. Atuando tanto pela direita quanto pela esquerda, Airton fez gols decisivos ao longo da campanha.

Rafael Sóbis: Indicação de confiança de Felipão, Sóbis assumiu a função de líder do time e foi o protagonista na reta final.

PODEM SER ÚTEIS EM 2021

Rafael Luiz: Vindo por empréstimo em parceria com a Ferroviária, o jovem lateral pouco atuou. Entretanto, demonstra qualidade e vale a pena ser aproveitado neste ano.

Claudinho: Custou cerca de R$ 3 milhões e ainda não correspondeu, mas é um jovem que agrega em muitas posições e pode se desenvolver.

Giovanni Piccolomo: O meia chegou a pedido de Ney franco, mas por causa de uma lesão grave só pôde atuar nas últimas semanas da temporada. Não ajudou muito mas demonstrou qualidade, apesar da condição física.

Gui Mendes: Não se sabe ao certo se foi uma contratação pro profissional, já que logo em sua chegada foi encaminhado para o sub-20 da equipe. Demonstrou futebol na base e pode vir a ser aproveitado.

SEM UTILIDADE

Daniel Guedes: Jogou apenas 7 jogos e saiu pela bagunça de 3 times, sem saber por onde jogaria afinal, apesar disso, segue vinculado por empréstimo ao Cruzeiro.

Marllon: Um reforço para compor elenco, entretanto o Corinthians lhe chamou após poucos jogos com a camisa celeste.

Jean: Começou muito bem no clube, participando de jogos e até fazendo gol. Mas acabou sofrendo uma lesão séria que o tirou do resto da temporada.

Ângulo: Talvez o caso de maior bagunça no ano, foi chamado de volta pelo Palmeiras, porém após alguns jogos retornou novamente por empréstimo. Mas após alguns dias, saiu do clube para jogar no Botafogo.

Matheus Índio: O caso do jogador contratado que nunca vestiu a camisa do clube, um dos negócios mais bizarros do ano.

DECEPÇÃO PELO INVESTIDO

Pottker: Vindo de uma troca que rendeu desgaste com a torcida, Pottker não entregou tudo o que se esperava dele, mas ainda sim foi útil em alguns jogos.

Arthur Caike: Com baixo foco e determinação nos jogos, Arthur veio com bastante expectativa e não correspondeu. Foi decisivo em alguns jogos por ser muito bom para a Série B, no entanto, deixou a desejar na maioria das vezes pela pouca entrega e vontade.

Regis: Teve um início animador, porém bastou pouco tempo para cair de produtividade, ficou marcado pela falta de dedicação nas partidas.

Marcelo Moreno: Um dos nomes mais aclamados pela torcida pode ter sido a maior decepção do ano, fora de ritmo e pouco útil nas partidas.

NÃO DEU CERTO

João Lucas: Logo de cara a torcida pegou no pé, e com razão, João Lucas raramente acertou coisas básicas em sua passagem pelo Cruzeiro.

Giovanni: Mais um caso de jogador criticado pela torcida no início, com baixo rendimento, foi mais um negócio ruim para o clube.

Jhonata Robert: Com poucos jogos no Campeonato Mineiro e pouco útil ao time, acabou sendo devolvido ao Grêmio.

Everton Felipe: Com bons dribles mas baixo acerto em passes, Everton teve uma curta passagem com a camisa celeste. Foi motivo de um desacerto entre a diretoria do Cruzeiro e São Paulo, rapidamente retornou ao clube paulista.

Roberson: Um dos primeiros reforços do clube, vindo da reserva do RB Bragantino, não conseguiu se encontrar no clube e saiu na metade do ano.

 


Deixe seu comentário, curta e compartilhe