Ah! É Judivan! Ah! É Judivan! (Cruzeiro 2 x 2 Avaí – Camp. Brasileiro 35ª rodada)

Salve, guerreiros!

Hoje se escreveu no Mineirão mais uma “página heroica imortal”. Não estou falando da conquista de um título, ou de um resultado de campo. Estou falando de um jovem atleta que sofreu uma lesão séria por uma entrada criminosa desferida por um companheiro de profissão. Um hoje, pai de família, afastado daquilo que mais gosta de fazer. Privado por longos dois anos e meio da paixão chamada bola. Fomos 8 milhões correndo com você, Judivan, em direção a ela suavemente posicionada na marca da cal esperando seu toque. Foi morrer no fundo do barbante nos ensinando várias lições. Que não devemos desistir das nossas lutas, ainda que pareçam enormes. Que a paciência é uma virtude que apenas os grandes homens têm. Que apesar da sua vitória solitária, havia todo um grupo profissional por trás, médicos, atletas, comissão técnica, sua esposa, seu filho e como já disse, 8 milhões de guerreiros esperando esse momento.

A imagem da noite ficou compreendida dentro daqueles poucos segundos em que ouviu-se o apito, sentimos a grama debaixo dos nossos pés, o som da rede acariciando a bola, a explosão do estádio e um grande abraço de todo o elenco, mascotes e qualquer cruzeirense espalhado por todo o mundo. Confesso que me vieram lágrimas, não só em mim, mas muitos torcedores manifestaram isso no micro-blogue Twitter, e eu acredito neles. Davi pode finalmente ver seu papai estufar as redes. Esse gol ficará marcado na memória dele, na sua, em nossa. Nem o empate cedido vai estragar esse momento mágico que o futebol nos proporcionou nesta noite.

Vem a entrevista, o então competente repórter Pedro Correa precisava perguntar: “Qual o sentimento em relação ao seu agressor?” “Está perdoado” foi sua resposta. Isso nos mostra que o menino que servia a seleção de base há dois anos e meio quando sofreu a lesão, tornou-se um homem. Vou além, um homem de caráter, é inegável. Um homem que não pretende carregar mais o fardo do acontecido, que olha para frente, para o futuro, e que ele lhe sorria, Judivan. Nos emocionamos contigo hoje, e esperamos nos emocionar ainda outras vezes nas muitas conquistas que virão do Cruzeiro com você envergando a camisa. Que esse seja o primeiro de muitos outros e importantes gols. Sua história de superação, luta, determinação nos faz entender a frase que até pode parecer clichê aos olhos de alguns, mas, define bem o que testemunhamos hoje: “Não é só futebol!” Não é mesmo!

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO X AVAÍ
Local: Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data-Hora: 15/11/2017 – 19h30
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (CBF)
Auxiliares: José Eduardo Calza (CBF) e Maurício Coelho Silva Penna (CBF)
Cartões amarelos: Digão, Léo, Thiago Neves (CRUZEIRO); Judson, Douglas Friedrich (AVAÍ)

Gols: Júnior Dutra (dois) e Thiago Neves e Judivan.

CRUZEIRO: Fábio; Galhardo(Bryan), Léo, Digão e Diogo Barbosa (Judivan) ; Henrique e Lucas Romero; Robinho, Thiago Neves e Rafinha; Jonata (Élber).

Técnico: Mano Menezes

AVAÍ: Douglas Friedrich; Maicon, Fagner Alemão, Betão e João Paulo; Judson e Wellington Simião; Pedro Castro (Luanzinho), Marquinhos ( Caio César) e Júnior Dutra; Rômulo (Maurinho)

Técnico: Claudinei Oliveira