Adeus ano velho, feliz ano novo…

Como não podia deixar de ser, fim de ano é o momento de agradecer pelas boas coisas acontecidas no ciclo solar que se encerra e fazer promessas/pedidos para o que se inicia. Humanos que somos, temos muito mais facilidade para pedir do que para agradecer. E convenhamos, o Cruzeiro não fez um trabalho em 2016 que mereça grandes vivas ou lembranças memoráveis.

Mas podemos agradecer de cara por uma coisa: por mais um ano, seguimos na primeira divisão. Somos hoje um dos pouquíssimos clubes que nunca foram rebaixados, ao lado de Santos, São Paulo, Flamengo e Chapecoense (este com menos participações). O Internacional, que fazia parte deste seleto grupo, experimentará a Série B em 2017. E pelo andar da carruagem, nós poderíamos fazer companhia aos colorados. Nosso clube errou demais nos dois últimos anos e não pode dar sopa para o azar pelo terceiro ano consecutivo. É hora de fazer um grande time e voltar a brigar, de verdade, para vencer títulos.

Sobre os pedidos, farei poucos. O primeiro é relacionado a diretoria: que o nosso presidente Gilvan aprenda a calar a boca. Que baixe sua bolinha e consiga lidar melhor com esse ego, essa vontade ridícula de aparecer. Até porquê, ele erra praticamente em todos os seus pronunciamentos. Como certa vez Romário se referiu a Pelé, Gilvan calado é um poeta. Poetize mais, presidente. Outras solicitações para a diretoria vão para um maior critério na hora de fazer contratações, mais transparência na gestão, paciência com os treinadores e condições mais interessantes para a maior torcida de Minas ir ao Mineirão. O espetáculo que um estádio cheio proporciona faz o futebol valer a pena.

Meu pedido à torcida vai para simples mudanças de comportamento, relacionadas a forma como enxergam o jogo em si. Poucos jogadores vão chegar e mostrar serviço já no primeiro jogo, todo mundo precisa de tempo para mostrar seu futebol. Tenhamos mais calma nos julgamentos e evitemos qualquer tipo de vaia, que é uma forma de jogar contra o próprio clube. Em bom português, é burrice. Ah, e entenda uma coisa: o Cruzeiro não tem dinheiro nem para pagar o que deve ao Huracan pela contratação de Ábila. Não esperemos grandes investimentos. Nosso clube não tem grana.

Enfim, nosso aniversário de 96 anos está chegando, mas falaremos disso mais a frente. Meu desejo final é que você, sua família e todos aqueles que você quer bem, tenham um ótimo 2017, repleto de realizações. E que o seu clube volte a mostrar sua grandeza, com um time competitivo e que volte a conquistar títulos, algo que já estamos com saudade. Obrigado por toda a interação desprendida em 2016, no próximo ano faremos muito mais. Guerreiro dos Gramados, nossa torcida, nossa força.

Por: Emerson Araujo