Ábila + 10 (Santos 0 x 1 Cruzeiro – Campeonato Brasileiro 3ª rodada)

Salve, guerreiros!

Essa pergunta eu tenho feito constantemente: Como pode o artilheiro do time em dois mil e dezessete não ser titular da equipe? A resposta, apenas Mano Menezes poderia dar, mas não vai fazê-lo. O que este colunista pode fazer é analisar a partida de ontem em pré e pós Ábila contra o Santos para me fazer entender. No mais, A Raposa chega aos sete pontos e divide a liderança da competição com o Corinthians.

O jogo

O Cruzeiro inicia a partida com uma marcação quase impecável, em compensação, o Santos se defende bem também, resultado, as duas equipes praticamente não sujam os uniformes dos goleiros. Entretanto, o domínio territorial e de posse de bola do Cruzeiro foram evidentes. A Raposa chegou a ter mais 55% da posse. Gol mesmo, apenas no segundo tempo, que foi animado.

Primeiro tempo

Como já dissemos acima, ao contrário que o torcedor celeste imaginava, Mano com três volantes não foi só retranca. A intenção, segundo o treinador, era realmente dar mais segurança ao setor defensivo para desobrigar os homens de frente de marcação. Funcionou, mas, Rafael Marques e companhia, não conseguiram furar a defesa santista.

Segundo tempo

Essa etapa da partida foi muito divertida. Um lá e cá interessante para que ama o esporte bretão. Ambas as equipes passaram a buscar mais o resultado, e finalmente os goleiros passaram a trabalhar. Mais o Fábio que Vanderlei, pois nosso ataque não estava produzindo muitas chances de gol.

As substituições deram o tom da partida. As entradas de Thiago Neves e principalmente Ramón Ábila foram fundamentais para o triunfo celeste. Mas antes de dedicar uma seção exclusiva a Ramón, devo salientar o maestro do meio campo da Raposa: Ariel Cabral deixou muito claro como estava fazendo falta ao time. Ele foi senhor do meio campo celeste e é nosso Guerreiro de ouro de hoje.

Ramón Ábila + 10

Vou demonstrar o que tenho afirmado a meses. Ramón Whanchope Ábila não pode ficar fora desse time. Ele foi contratado para suprir uma carência que os times montados por Mano têm, fazer gols. Tem sido tratado sempre como segunda opção pelo treinador, ainda assim é o artilheiro do time no ano. Se os caros leitores perceberam, assim como eu, O Cruzeiro só levou perigo ao gol de Vanderlei após a entrada do argentino. Em sua primeira participação já enfiou-se entre os zagueiros santistas e a bola o buscou.

Foram dele os dois passes para Thiago Neves que ofereceram as melhores oportunidades celestes, uma desperdiçada frente a frente com o goleiro santista, e a outra foi para o fundo do gol. Ontem durante o jogo, falei em um grupo de notáveis celestes no Whatsapp que Ábila é REFERÊNCIA. Qualquer time que se presa no mundo tem um atacante como referência. Ele puxam não só a bola, mas a marcação. A jogada de linha de fundo no lance do gol evidenciou isso. Ábila puxou dois zagueiros e Thiago ficou livre para marcar.

Para finalizar, falta o Guerreiro de lata, e fica com o uruguaio De Arrascaeta. Sumiu o futebol do rapaz,e já tem algumas partidas. Antes eu até culpava o esquema de marcação excessiva exigido por Mano, mas ontem, com mais liberdade, ele deveria ter aparecido mais. Quem vem em uma crescente boa, é Alisson. Na contramão do uruguaio, o jovem meia atacante vem infernizando as defesas adversárias pela esquerda. Espero que mantenha-se livre das lesões.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 0 X 1 CRUZEIRO

Loca: Vila Belmiro, Santos (SP)
Data-hora: 28/5/17 – 16h
Árbitro: Eduardo Thomaz de Aquino Valadão (GO)
Auxiliares: Fabrício Vilarinho da Silva e Cristhian Passos Sorence (GO)
Público/renda: 7.025 / R$ 198.775,00
Cartões amarelos: Copete (SAN); Henrique, Léo (CRU)
Gols: Thiago Neves (38′)

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca (Copete); Renato (Kayke), Thiago Maia e Vladimir Hernández (Jean Mota); Vitor Bueno, Bruno Henrique e Ricardo Oliveira. Técnico: Lucas Silvestre

CRUZEIRO: Fábio; Lucas Romero, Dedé (Caicedo), Léo e Diogo Barbosa; Henrique, Hudson (Ábila), Ariel, Arrascaeta (Thiago Neves) e Alisson; Rafael Marques.

Técnico: Mano Menezes

Agora a Raposa enfrenta a Chapecoense pela Copa do Brasil. A primeira partida foi 1 x 0 para a Raposa, que não terá vida fácil jogando na Arena Condá. Esperemos que esse novo Cruzeiro mais equilibrado entre defesa e ataque jogue novamente.

Guerreiro dos Gramados. Nossa torcida, nossa força!

Por: Álvaro Jr