05 nov A última lição de vida de Sorín no Cruzeiro


O resultado pouco importou. O que valeu mesmo foi ver, pela última vez, a lição de vida que Juan Pablo Sorín sempre ensinou a toda a torcida do Cruzeiro enquanto nosso eterno ídolo vestiu nossa camisa com amor e dedicação.
 
30 de setembro de 2000. O Cruzeiro disputava mais um clássico contra o “time do lado seco da Lagoa da Pampulha”. Perdíamos por 2×0, Fábio Júnior empatou com dois gols. Depois, Sorín enche o pé da entrada da área, marca o gol da virada e corre para os braços da torcida (veja o vídeo em.

http://www.youtube.com/watch?v=GduHUjHolnc

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

02 de dezembro de 2000. O Cruzeiro jogava com o Internacional pelas quartas de final da Copa João Havelange, e perdia por 1×0 em pleno Mineirão. Sorín, mesmo machucado, pede para ficar em campo. Após cruzamento da esquerda, ele se antecipa à zaga e marca o gol do empate.

http://www.youtube.com/watch?v=VnOXg2ZRMbc

12 de maio de 2002. Dispensa maiores comentários. O título da Copa Sul Minas foi pequeno diante do golaço de Sorín e da festa da torcida por seu ídolo, por seu guerreiro.

http://www.youtube.com/watch?v=XcBhzQVViI8

Estes três gols mostram claramente uma coisa: o que diferencia os bons jogadores dos ídolos eternos é a entrega dentro de campo, a dedicação, a raça, o amor pelo time.
 
Esta é lição de vida de Juan Pablo Sorín para toda a torcida do Cruzeiro. Sempre deu exemplo para todos dentro de campo. Nunca desistiu, mesmo diante das dificuldades.
 
Foi emocionante ver nosso ídolo ontem até o final do jogo, esgotado fisicamente, sem condições após várias lesões dos últimos anos. Mesmo assim, ele driblou, deu passes, mostrou mais talento e força de vontade que muito come-dorme-chinelinho que está no Cruzeiro atualmente.
 
Ontem, este exemplo de vida extrapolou para fora de campo. 90 toneladas de alimentos não perecíveis arrecadados para doar a quem precisa. Sorín não fez gol na despedida, mas nem precisava, estas 90 toneladas representam o maior golaço em termos de solidariedade e respeito aos que tanto necessitam de ajuda.
 
Obrigado, Sorín, por todo o exemplo de vida que você mostrou para a torcida. Se eu pudesse, eu lhe pediria um favor: continue no Cruzeiro, não para jogar, mas para você dar umas palestras para os jogadores do atual elenco. Tem muita gente aí precisando aprender como é que se joga com amor e dedicação ao clube e respeito à torcida e ao alto salário que recebe.


Deixe seu comentário, curta e compartilhe